Serialização centralizada: é possível?

Mario Simard,  Diretor de gestão das linhas de produtos,  GRUPO OPTEL

Quando o assunto é serialização, atualmente há duas formas de abordar sua implementação. A primeira é através da busca de um fornecedor de módulos ou máquinas que faça tudo na linha, enquanto que a segunda é considerar as máquinas e a serialização de modo separado. Independentemente da forma, a maior parte dos profissionais do setor farmacêutico concorda que a simplificação é fundamental, e que uma das formas de obtê-la é procurar uma solução única. Porém, isso é factível? E realmente simplifica as coisas?

Com base na ampla experiência do Grupo OPTEL na implementação de serialização e nos dados coletados nestes diversos projetos, este artigo analisa alguns dos maiores desafios e parâmetros que encontramos nas farmacêuticas e CMOs (Contract Manufacturing Organizations) mundialmente e como as oluções de serialização são impactadas. Também será oferecida uma visão geral comparativa das soluções e requisitos para determinar se uma única solução pode ser implementada eficazmente e se é possível que um fabricante cumpra todos os requisitos.

 

BAIXE O LIVRO BRANCO

One Stop Shop – Astellas Experience

 

Compartilhar esta página